Ataques terroristas no Daguestão, sul da Rússia, deixam 19 mortos e três dias de luto

Foto/Reprodução.
 Região do cáucaso russo sofre com ataques coordenados a igrejas, sinagoga e delegacia.
Por Camila Fernandes | GNEWSUSA

 

Os ataques terroristas que abalaram o Daguestão, no Cáucaso russo, no último domingo (23/6), resultaram na morte de pelo menos 19 pessoas, incluindo quatro civis e um sacerdote de 66 anos. As autoridades locais decretaram três dias de luto em resposta aos trágicos eventos. O balanço oficial foi divulgado nesta segunda-feira (24/6) pelo Comitê de Investigação Russo.

Os ataques coordenados atingiram igrejas ortodoxas, uma sinagoga e uma delegacia de polícia. O Comitê de Investigação revelou que, dentre os mortos, estão 15 policiais e quatro civis, incluindo um padre ortodoxo. “Este é um dia trágico para o Daguestão e para todo o país”, afirmou Sergei Melikov, governador da região. Em um vídeo divulgado no Telegram, Melikov visitou a sinagoga em Derbent, onde vestígios de sangue ainda eram visíveis no chão.

Melikov sugeriu uma ligação entre os ataques e o conflito na Ucrânia, afirmando que “a guerra está chegando às nossas casas também”. Ainda não há informações claras sobre a identidade ou os motivos dos terroristas, e o Comitê de Investigação Russo abriu um inquérito por “atos terroristas”. O rabino-chefe da Rússia, Berl Lazar, condenou os ataques, classificando-os como um “crime desprezível”.

O Daguestão, uma região de maioria muçulmana na divisa com a Chechênia, tem um histórico de confrontos com jihadistas desde os anos 2000. Após longos anos de combates, a revolta islâmica foi reprimida pelas forças russas. Recentemente, a região sofreu outro grande ataque terrorista em março, quando a organização jihadista Estado Islâmico (EI) reivindicou um atentado contra a casa de shows Crocus City Hall, no subúrbio de Moscou, que resultou na morte de mais de 140 pessoas.

Cerca de 4,5 mil russos, incluindo muitos do Cáucaso, lutaram ao lado do EI no Iraque e na Síria, segundo dados oficiais. Os ataques no Daguestão ocorrem em um momento de crescente tensão, com a guerra na Ucrânia trazendo instabilidade adicional à região. As autoridades locais e federais estão mobilizadas para investigar e responder aos recentes eventos, com a expectativa de aumentar as medidas de segurança em todo o país.

Os próximos dias serão cruciais para compreender melhor a motivação por trás dos ataques e identificar os responsáveis, enquanto o Daguestão lida com o impacto dessa tragédia.

 

 

 

Leia Também: 

Apreensão de anabolizantes e R$11.634,00 em dinheiro na ponte da amizade

Médico brasileiro é preso por acidente fatal em Safári na Namíbia

Deputado dos EUA cobra esclarecimentos de Alexandre de Moraes sobre perseguição a opositores no Brasil

_____________

Sobre Camila Fernandes / CEO-Brasil 551 Artigos
Jornalista, ela traz consigo uma rica bagagem de experiência e conhecimento no campo da comunicação. Sua dedicação à profissão a consolidou como uma profissional de destaque, cuja paixão pela verdade e pela narrativa precisa a define. Além de suas realizações no jornalismo, Camila também é a CEO da agência de marketing Authentic Media. Seu papel como líder empresarial destaca-se pela capacidade de combinar visão estratégica e criatividade, impulsionando sua agência para o sucesso. Formada em marketing Digital, atualmente Graduanda em Publicidade e Propaganda, ela continua a se aprimorar academicamente, mantendo-se atualizada com as últimas tendências e inovações no mundo da comunicação e do marketing. E desde 2023 faz parte do time de jornalistas do Gnewsusa. Adicionalmente, é importante ressaltar que Camila Fernandes desempenha o papel de CEO-Brasil no Jornal GnewsUSA, reforçando sua presença e influência no cenário da comunicação e do jornalismo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*